Com tantos tratamentos e dietas mirabolantes e revolucionárias como podemos emagrecer com saúde?

Existe um critério médico para avaliarmos o peso corporal denominado Índice de Massa Corporal"- IMC.
Quando o IMC não corresponde ao valor para mantermos uma vida saudável, tanto física e mental, procuramos vários meios para chegarmos ao peso "ideal".
Porém, devemos sempre estar atentos que saúde nunca deverá ser tratada como mercadoria, e assim não acreditar em dietas da "moda", "revolucionárias", "milagrosas", pois uma vida saudável requer atenção, disciplina e responsabilidade.
Os profissionais da saúde devem orientar seus pacientes que não existem medicamentos "para emagrecer", assim como também não existem medicamentos "para engordar", mais que existem meios saudáveis, através da alimentação e atividade física, para atender uma imagem corporal gratificante.
Não podemos esquecer que o nosso cérebro se alimenta de glicose e oxigênio, e durante qualquer fase da vida, os carboidratos complexos, como frutas, grãos, cereais, tubérculos (raízes - cenoura, batata) não devem e não podem ser abolidos da alimentação.
A alimentação saudável deve ser fracionada em seis vezes ao dia, divididas em quantidades adequadas, em café da manhã, lanche, almoço, lanche, jantar e lanche da noite. Pode parecer difícil, mais a mudança dos nossos hábitos alimentares, pode melhorar muito a nossa qualidade de vida. Os lanches podem ser com pequenas quantidades de frutas secas ou mesmo frutas naturais, principalmente a noite. Não existe surpresa em comer uma fruta a noite, pois durante as horas do sono, devemos manter o açúcar no sangue (glicemia) em níveis adequados, pois o nosso cérebro também exige glicose em qualquer período.
A atividade física orientada faz parte de uma vida saudável, principalmente caminhadas, sem a necessidade de corridas intensas. Estar atento que, antes e após de qualquer atividade física, faz-se necessário a ingestão de pelo menos uma fruta, para evitarmos uma queda brusca do açúcar no sangue com todas as suas consequências.
Assim, para mantermos um peso adequado para a nossa saúde, devemos procurar orientação com os profissionais da saúde e saber que ainda a ciência não desenvolveu meios farmacológicos para o emagrecimento e também não existem "dietas milagrosas".


Quais as descobertas mais recentes da neuroendocrionologia?

A neuroendocrinologia é uma especialidade da endocrinologia que estuda as glândulas endócrinas localizadas no cérebro, como a hipófise ou pituitária, hipotálamo e pineal.
A neuroendocrinologia atende crianças, de ambos os sexos, com problemas de crescimento, desenvolvimento, puberdade, tumores na hipófise, na pineal e no hipotálamo.
Os tumores de hipófise podem causar infertilidade nos homens e mulheres, assim com problemas na visão.
Alguns tumores na região do hipotálamo, da hipófise e da pineal são tratados com cirurgia, realizadas pelo neurocirurgião funcional, com resultados em manter a função da glândula.
O tratamento medicamentoso está indicado em alguns tumores da hipófise produtores de hormônios, chamados de secretores. Existe também, em alguns casos de tumores, o tratamento com radioterapia.
A radiocirurgia também pode ser indicada para os tumores e também como complementação da cirurgia. As cirurgias da hipófise podem ser por via transesfenoidal ( pela boca ou pelo nariz) ou em alguns casos via alta( através do crânio).


Como analisa a relação entre poluição e saúde, principalmente nas regiões urbanas?

Atualmente as doenças autoimunes estão sendo diagnosticadas com muita frequência, e uma das hipóteses do aumento da incidência, são as causas ambientais.
Não existem dúvidas que a poluição do ambiente pode causar doenças, como as pulmonares, cardíacas e otorrinolaringológicas.
Recentemente existem estudos relacionando poluição com a glândula tireóide.
A tireoidite crônica autoimune é a maior causa de hipotireoidismo primário.
Não existe tratamento para a tireoidite crônica autoimune, que deve ser acompanhada.
Se a pessoa desenvolver o hipotireoidismo, com sinais e sintomas como queda de cabelos, unhas fracas e quebradiças, pele seca e descamativa, inchaço, sono, depressão, o tratamento deve ser realizado com hormônio da tireóide, diário.
Quando o hipotireoidismo acontece em crianças, há retardo mental e atraso no crescimento, e se não for tratado, os efeitos da falta do hormônio tireoidiano são irreversíveis.
As doenças autoimunes podem estar associadas com outras doenças autoimunes, como diabete melito tipo 1, artrite reumatoide, lúpus eritematoso sistêmico, insuficiência adrenal.
O diagnóstico das doenças autoimunes é realizado através dos exames de sangue e também com os exames de imagem.


Invista no seu futuro