NOTÍCIAS

O que acontece com o cérebro quando você tem uma ideia brilhante?

Procurando responder uma das perguntas mais intrigantes da ciência, os pesquisadores John Kounios e Mark Jung-Beeman já sabem o que acontece com o cérebro no momento em que as pessoas têm ideias brilhantes. Desde 1990, os dois pesquisadores tentam entender o “estímulo que produz uma interpretação não-óbvia, não-dominante da situação”.

Depois de uma extensa pesquisa, os professores da Drexel University e da Northwestern descobriram que o cérebro apaga – como num blackout – logo nos milissegundos antecedentes às epifanias. O exato momento, um pouco antes de a resposta atingir a ponta da língua, os cientistas definiram como “piscada cerebral”.

Um exemplo clássico citado pelos autores é a “reflexão” feita pelas pessoas logo depois de questionadas. “Naquele momento, o cérebro começa a reduzir sua atividade visual”, conta Kounios à Fast Company.

No laboratório, os dois autores do livro “The Eureka Factor” utilizaram quebra-cabeças e equações para estudar a atividade cerebral. Com isso, descobriram que antes de apresentarem um problema, as partes analíticas do cérebro são amplificadas para que o receptor assimile o máximo de informação possível. Em contraponto, eles notaram que o córtex “apaga”, possibilitando às pessoas uma solução metódica “que encontra base no subconsciente”.

As pesquisas dessa área acontecem há mais de 100 anos, mas os primeiros resultados só realmente apareceram com as neuroimagens. Com elas, é possível analisar as mudanças cognitivas que acontecem quando o cérebro passa por experiências desse tipo.

Antes da neurociência, os pesquisadores acreditavam que o processo mental acontecia de maneira gradual. “Seu cérebro está sempre trabalhando e adquirindo informações. Descobrimos que esse processo não é gradual, mas, sim, repentino. É um conjunto de ações que acontece do nada, sem que você possa forçar ou evitar”, conta Kounios.

Os cientistas avisam – ou dão a dica – de que bom humor e mentes descansadas podem ser fatores importantes na hora daquele “Eureca!”. Para concluir, o autor diz: “Existe um processo importante de consolidação da memória que só acontece quando dormimos. Elas são transformadas e podem trazer detalhes escondidos para situações no dia a dia. Dormir bastante é ótimo para ter insights”.

FONTE:

http://glo.bo/1FKT0Lm

Parceiros:















© Copyright 2013 | Todos os direitos reservados | Instituto Neurológico de São Paulo
Cadastre seu nome e e-mail para receber informações